sábado, 1 de janeiro de 2011

Qual a diferença entre tática, estratégia e combinação?

Caros colegas,
 
Sempre recebemos questionamentos sobre a diferença existente entre esses três conceitos do xadrez.
Vamos aproveitar e citar trechos do livro de Yasser Seirawan e Jeremy Silman:
 
"O xadrez é um jogo de estratégia, em que duas pessoas aplicam toda a sua inteligência na tarefa de mobilizar suas peças e elaborar planos com base em elementos como a força (o valor numérico das várias peças), o tempo (a eficiência com que as peças são desenvolvidas), o espaço (o território controlado por cada jogador) e a estrutura de Peões.
Os bons jogadores gostam de escolher uma estratégia e segui-la até sua conclusão lógica.
No entanto, infelizmente, costumam encontrar pelo caminho o obstáculo de um fator estranho e fortuito, conhecido como tática.
A tática pode tanto defender a estratégia do jogador, quanto destruir a do adversário. Ela é capaz de esvaziar planos estratégicos gerais porque tem o poder de mudar completamente o rumo da partida.
Assim, chegamos à seguinte definição:
 
Táticas são manobras que aproveitam oportunidades imediatas.
 
Suponhamos, por exemplo, que você vai jogar uma partida de xadrez com um amigo. Você não quer perder de jeito nenhum. Sua estratégia consiste em controlar o centro e preparar um implacável ataque na ala do Rei.
Quem podería contestar o fundamento de uma orientação dessas?
Entretanto, no meio do caminho seu oponente arquiteta um garfo de Cavalo, que captura uma de suas Torres...!!!
Você sofre um golpe e seu jogo desmorona. Uma brilhante estratégia arrasada por um simples garfo de Cavalo...!!!!
Onde foi que você errou?
Ora.....você foi vitima da tática.....!!! E terá muito que aprender ainda!
No entanto, você pode usar a tática a seu favor; ela pode servir como um sistema de alarme antecipado, evitando que o adversário se intrometa em seus planos, com truques bem arquitetados. Ela é um verdadeiro cão de guarda de sua estratégia.
Dominando as possibilidades táticas, será capaz de se defender contra incursões táticas do adversário e de forçá-lo a seguir o caminho estratégico que você escolheu."
 
E as combinações?
Qual a diferença entre tática e combinação?
 
No mesmo livro citado acima, encontramos os seguintes trechos:
 
"Definição defendida por Mikhail Botvinnik:
 
A combinação é uma manobra forçada, combinada com um sacrificio, em resultado da qual o lado ativo ganha uma vantagem objetiva.
 
Para conseguir uma combinação perfeita, Jeremy Silman insiste que elas não podem ocorrer sem que estejam presentes um ou mais dos seguintes itens:
 
1. um Rei fraco (ou aberto). Quando o Rei tem uma cobertura de Peões frágil, não conta com defensores ou se encontra enfraquecido por algum outro motivo, provavelmente alguma combinação será possível.
 
2.Um Rei afogado. Quando o Rei fica sem lances legais, a combinação que produz o xeque também resulta em xeque-mate.
 
3.Peças (não Peões) sem defesa. Qualquer peça sem proteção fica vulnerável à captura por um ataque duplo ou garfo.
 
4.Peças mal protegidas. Parece que a peça está em segurança, mas um ataque duplo repentino pode colocá-la em perigo, acrescentando-se outro atacante.
 
Se houver uma ou mais dessas situações no tabuleiro, Silman afirma que o jogador deve procurar uma combinação. Ao contrário, se nenhum desses fatores estiver presente, dificilmente haverá materialização de uma combinação."

Nenhum comentário:

Postar um comentário