sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Vídeo - como conseguir vantagem material

Vídeo - Ataque duplo e Cravada

Vídeo - Golpes táticos no xadrez

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Você sabe rocar?

Caros colegas,
 
Um pequeno trecho dos casos de arbitragem de autoria do AI Antonio Bento:
 
Roque, erro no ritual  - O que acontece se o jogador pegar primeiro na torre?
Pergunta: Quando o jogador ao realizar o roque, movimenta primeiro a torre, o adversário reclama, o que acontece? Qual deve ser a decisão do árbitro numa competição oficial, valendo rating FIDE? E nas competições escolares com crianças? 
 
Resposta: Diz o artigo 4.4 "b" da lei do xadrez que: "Se o jogador, intencionalmente, toca numa torre e em seguida em seu rei, não pode rocar nesta ala nesta jogada, e a situação deverá ser regulada pelo Artigo 4.3 (a)." 
O que o legislador quis dizer com isso? 
Simplesmente, que se o jogador tocar primeiro na torre não poderá efetuar o roque e deverá jogar com a peça tocada, no caso, a torre! Trata-se de uma terrível punição que pode comprometer a segurança do seu rei.  
Isso é aplicado pelos árbitros em eventos valendo norma ou rating FIDE, bem como nos torneios oficiais disputados por jogadores experientes. Mas, o próprio Comitê de Arbitragem da FIDE admite que os árbitros não devem ser tão rigorosos nas competições envolvendo jovens jogadores menores de 14 anos, deixando o jogador rocar e posteriormente explicar como deve ser feito o movimento do roque, como determina a lei do xadrez. 
O ritual correto da feitura do roque está descrito no artigo 3.8 "a" "ii": ... é um lance efetuado com o rei e uma das torres, de mesma cor, na mesma fileira, levando-se em conta como um único lance de rei e executado da seguinte forma: o rei é transferido de sua casa original para duas casas em direção à torre, em seguida, a torre é transferida para a casa a que o rei acaba de atravessar. 
 
Conclusão: O árbitro deve ser rigoroso em competições oficiais. Em eventos escolares, envolvendo alunos das primeiras séries do ensino fundamental, o árbitro não deverá intervir. 
 
Aquí, a única dúvida que fiquei é se, nos casos de xadrez escolar, o árbitro, presenciando um jogador realizando um roque erradamente, não devería alertar este jogador sobre o procedimento correto. Tudo bem que o árbitro não é treinador, mas sua função não podería ser extendida tendo em vista o esclarecimento das regras?

Roque feito com as duas mãos
Pergunta: Não achei na regra da FIDE, artigo que autoriza o roque com duas mãos. É correto este procedimento em partida de torneios válidos para rating FIDE?

Resposta: O roque é um lance efetuado com o rei e uma das torres. Diz o artigo 4º da lei do xadrez que cada lance deve ser feito apenas com uma das mãos. Logo não é correta a realização do roque com as duas mãos. 

E no caso do jogador que efetuar o roque colocar o rei ou a torre em casa errada....???
Caracterizaria um lance ilegal?
O jogador faltoso seria punido?
Com qual tipo de punição? Aumento de seu tempo de reflexão....????
 
 
 

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Chessmaster Challenge

Caros colegas,
 
Um soft para treinamento:
 
Chessmaster Challenge
 
"O tabuleiro de xadrez pode ter um visual bem mais descolado com este game que lhe ensina a jogar."

Um dos jogos de raciocínio e lógica mais famosos do mundo é o xadrez. O jogo dispensa apresentações e equipamentos modernos e exige muita concentração e raciocínio de quem joga. Chessmaster Challenge é uma ótima oportunidade para manter suas habilidades no jogo sempre afiadas e também é uma boa maneira de ensinar quem ainda não sabe como jogá-lo.

Xadrez para todos os níveis


Cada peça tem uma movimentação distinta e o jogador precisa ter uma visão geral para cuidar de todo o tabuleiro ao mesmo tempo. Baseado em matemática, o jogo permite que diversas situações reais de estratégia de guerra sejam recriadas. Um dos grandes diferenciais do xadrez é que ele apresenta uma gama infinita de possibilidades, logo, um bom jogador precisa praticar constantemente.

Comece bem para garantir sua vitória.

Todos devem criar o seu próprio perfil, uma vez que as partidas irão fazer parte das estatísticas pessoais de cada um. Além do modo tradicional de jogo, aqui você encontra um modo de desafios que lhe ensina truques e jogadas e um tutorial para ensinar novos jogadores a movimentação completa. Você pode personalizar diversas opções do jogo e a sua visão do tabuleiro pode ser alterada a qualquer momento.

 O visual de Chessmaster Challenge é interessante e traz uma imagem mais descolada ao xadrez, geralmente levado muito a sério. Também é uma ótima maneira de aprender a jogar, pois se trata de um professor paciente que fala português.

Se você quiser praticar seu xadrez através de exercícios variados, visite nossos grupos:

http://br.groups.yahoo.com/group/problemasdexadrez

http://br.groups.yahoo.com/group/partidasdexadrez

http://br.groups.yahoo.com/group/xadreznosselos

http://xadrezdomeujeito.blogspot.com

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Rei asfixiado

Caros colegas,
Vejam algumas posições de mate com o Rei asfixiado!
 
Diagrama 1
 
 
FEN : 7k/5P1p/8/4B3/8/8/8/8

Diagrama 2
 
 
FEN : 6bk/8/6P1/4B3/8/8/8/8
Diagrama 3
 
 
FEN : 7k/5K1p/8/4B3/8/8/8/8

Diagrama 4
 
 
FEN : 5B2/7p/7k/5K1p/8/8/8/8
 
Diagrama 5
 
 
FEN : 8/8/8/6pp/7k/7P/5B1K/8

Diagrama 6
 
 
FEN : 8/8/8/6p1/6Pk/5P2/5B1K/8

Machado de Assis e o Xadrez

Caros colegas,
 
 
 
Xadrez e Leituras da Vida

"De Machado de Assis conhecemos parte
de sua vida

mas eu quero lhes dizer um pouco mais da
sua lida.

Além de poeta, romancista e contista

ele era teatrólogo, jornalista e enxadrista." (ProfessorNelsonMS)
 
[Xadrez-Machado+de+Assis+02.jpg]

O segundo post da série Xadrez e Leituras da Vida apresenta a relação de Machado de Assis com o Xadrez. Este grande escritor brasileiro que nos deixou importantes composições escritas, também nos deixou suas composições para os tabuleiros de xadrez. Foi um jogador de xadrez e participou do primeiro torneio de xadrez realizado no Brasil. Mantinha contato com enxadristas e instituições afins. Jogou com grandes enxadristas da época como Artur Napoleão e João Caldas Vianna . Atuou, também, como problemista criando alguns problemas de xadrez.

Pesquisas mostram que a relação entre Machado de Assis e o jogo de xadrez se deu num intervalo de tempo de aproximadamente 36 anos (1862/1865 até 1898). Se essa relação não tivesse sido benéfica para Machado de Assis e para o xadrez, ela não teria durado tanto tempo !

A seguir são apresentadas citações que mostram Machado de Assis como enxadrista e a presença do xadrez em sua obra.

O nome de Machado de Assis recebe algumas citações relacionando-o ao xadrez :

"...Tinha aí duas distrações: a música erudita e o jogo de xadrez... " (Machado : atual, imortal e eterno, Murilo Melo Filho - Sexto ocupante da Cadeira nº 20 na Academia Brasileira de Letras)

"Uma abertura machadiana
Aqui, jogaremos xadrez. A abertura fora do comum se justifica: os movimentos iniciais determinam o curso de uma partida e por isso na teoria enxadrística são objetos de intensa investigação. Aqui, também seremos investigadores. Uma importante característica da personalidade de Joaquim Maria Machado de Assis (1839-1908) ainda é pouco conhecida (porque pouco estudada): o inesgotável escritor, criador de alguns dos maiores clássicos de nossa literatura, foi um grande e dedicado enxadrista, habilidade peculiar que pode ter exercido uma enorme influência sobre o artista." C.S.Soares

"...Como o poeta romântico francês Alfred de Musset, Machado de Assis foi problemista e publicou vários de seus enigmas de xadrez em periódicos nas décadas de 1870 e 1880..." C.S.Soares

"Machado é citado como solucionista de problemas de xadrez em diversos números da revista Ilustração Brasileira e da Revista Musical e de Belas-Artes." C.S.Soares

"Machado de Assis foi o primeiro solucionista da primeira secção de xadrez do Brasil ! Um problema de sua autoria foi publicado (sob o no. 10) na Illustração Brasileira e reproduzido, mais tarde, na Caissana, pág. 11. (Manual de Xadrez, Idel Becker)

DOYLE, Plínio. Machado de Assis, jogador de xadrez. In: Boletim da Sociedade dos Amigos de Machado de Assis. Rio de Janeiro, n. 1, pp. 22-23, setembro 1958.

MATHIAS, Herculano Gomes. Machado de Assis e o jogo de xadrez. In: Anais do Museu Histórico Nacional. Rio de Janeiro, Vol XIII, pp. 143-185, 1964.


Nas obras de Machado de Assis encontramos referências ao jogo de xadrez, eis algumas delas :

"Aos domingos, tinha sempre a jantar o Sr. Antunes, com quem jogava uma partida de bilhar. Tentou ensinar-lhe o xadrez, mas desanimou ao fim de cinco lições ... Das qualidades necessárias ao xadrez, Iaiá possuía as duas essenciais: olho de guia e paciência beneditina; qualidades preciosas na vida, que também é um xadrez, com seus problemas e partidas, uma ganhas, outras perdidas, outras nulas. " (Iaiá Garcia, Machado de Assis)

"Por outro lado, há proveito em irem as pessoas da minha história colaborando nela, ajudando o autor, por uma lei de solidariedade, espécie de troca de serviços, entre o enxadrista e os seus trabalhos.
Se aceitas a comparação, distinguirás o rei e a dama, o bispo e o cavalo, sem que o cavalo possa fazer de torre, nem a torre de peão. Há ainda a diferença da cor, branca e preta, mas esta não tira o poder da marcha de cada peça, e afinal umas e outras podem ganhar a partida, e assim vai o mundo. Talvez conviesse pôr aqui, de quando em quando, como nas publicações do jogo, um diagrama das posições belas ou difíceis. Não havendo tabuleiro, é um grande auxílio este processo para acompanhar os lances, mas também pode ser que tenhas visão bastante para reproduzir na memória as situações diversas." (Esaú e Jacó, Machado de Assis)

"Quando Eduardo declarou aceitar a partida de xadrez a moça sentiu que o coração lhe palpitava com mais força. Ela própria foi dispor o necessário para o jogo, não sem levantar muitas vezes os olhos para Eduardo, cujo olhar, pregado nela, exercia uma fascinação ... Mandou entrar e daí a pouco o valente jogador de xadrez aparecia à porta, com ar risonho e gesto afetuoso." (Questão de Vaidade – conto, Machado de Assis)

"O major jogava o xadrez com Valadares; o poeta recitava versos; Elisa enchia tudo com a sua graça e as suas palavras." (História de uma Lágrima – conto, Machado de Assis)


Boa "leitura" e bom "jogo" !

sábado, 1 de janeiro de 2011

Qual a diferença entre tática, estratégia e combinação?

Caros colegas,
 
Sempre recebemos questionamentos sobre a diferença existente entre esses três conceitos do xadrez.
Vamos aproveitar e citar trechos do livro de Yasser Seirawan e Jeremy Silman:
 
"O xadrez é um jogo de estratégia, em que duas pessoas aplicam toda a sua inteligência na tarefa de mobilizar suas peças e elaborar planos com base em elementos como a força (o valor numérico das várias peças), o tempo (a eficiência com que as peças são desenvolvidas), o espaço (o território controlado por cada jogador) e a estrutura de Peões.
Os bons jogadores gostam de escolher uma estratégia e segui-la até sua conclusão lógica.
No entanto, infelizmente, costumam encontrar pelo caminho o obstáculo de um fator estranho e fortuito, conhecido como tática.
A tática pode tanto defender a estratégia do jogador, quanto destruir a do adversário. Ela é capaz de esvaziar planos estratégicos gerais porque tem o poder de mudar completamente o rumo da partida.
Assim, chegamos à seguinte definição:
 
Táticas são manobras que aproveitam oportunidades imediatas.
 
Suponhamos, por exemplo, que você vai jogar uma partida de xadrez com um amigo. Você não quer perder de jeito nenhum. Sua estratégia consiste em controlar o centro e preparar um implacável ataque na ala do Rei.
Quem podería contestar o fundamento de uma orientação dessas?
Entretanto, no meio do caminho seu oponente arquiteta um garfo de Cavalo, que captura uma de suas Torres...!!!
Você sofre um golpe e seu jogo desmorona. Uma brilhante estratégia arrasada por um simples garfo de Cavalo...!!!!
Onde foi que você errou?
Ora.....você foi vitima da tática.....!!! E terá muito que aprender ainda!
No entanto, você pode usar a tática a seu favor; ela pode servir como um sistema de alarme antecipado, evitando que o adversário se intrometa em seus planos, com truques bem arquitetados. Ela é um verdadeiro cão de guarda de sua estratégia.
Dominando as possibilidades táticas, será capaz de se defender contra incursões táticas do adversário e de forçá-lo a seguir o caminho estratégico que você escolheu."
 
E as combinações?
Qual a diferença entre tática e combinação?
 
No mesmo livro citado acima, encontramos os seguintes trechos:
 
"Definição defendida por Mikhail Botvinnik:
 
A combinação é uma manobra forçada, combinada com um sacrificio, em resultado da qual o lado ativo ganha uma vantagem objetiva.
 
Para conseguir uma combinação perfeita, Jeremy Silman insiste que elas não podem ocorrer sem que estejam presentes um ou mais dos seguintes itens:
 
1. um Rei fraco (ou aberto). Quando o Rei tem uma cobertura de Peões frágil, não conta com defensores ou se encontra enfraquecido por algum outro motivo, provavelmente alguma combinação será possível.
 
2.Um Rei afogado. Quando o Rei fica sem lances legais, a combinação que produz o xeque também resulta em xeque-mate.
 
3.Peças (não Peões) sem defesa. Qualquer peça sem proteção fica vulnerável à captura por um ataque duplo ou garfo.
 
4.Peças mal protegidas. Parece que a peça está em segurança, mas um ataque duplo repentino pode colocá-la em perigo, acrescentando-se outro atacante.
 
Se houver uma ou mais dessas situações no tabuleiro, Silman afirma que o jogador deve procurar uma combinação. Ao contrário, se nenhum desses fatores estiver presente, dificilmente haverá materialização de uma combinação."