segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Tutorial - Xadrez

domingo, 26 de setembro de 2010

Para os iniciantes

 

Caros colegas,
Como já é sabido, o ataque direto à posição do rei inimigo é, muitas vezes, um procedimento eficaz para concluir uma partida de xadrez. Esse artifício resulta especialmente fatal naqueles casos em que os peões que protegem o rei estão debilitados.
No início do jogo, os peões ficam dispostos horizontalmente, um ao lado do outro, e assim protegem o rei de maneira sólida.
Ao se mover um, ou vários deles, cessa o controle que mantinham sobre algumas casas, que se convertem em pontos acessíveis às peças inimigas.
Vejamos um exemplo:
FEN : r2q1rk1/1ppb1ppp/p1n5/7R/4P3/1B2B3/PPP2PPP/R1Q3K1
Nesta posição mostrada pelo diagrama acima, as pretas teriam que se preocupar em reforçar a defesa de seu rei.
Para isso poderiam responder com a jogada 1.____,Qf6
como também serviria  1.____,Bg4 ; 2.Rg5,Be6
Entretanto, o lance que elas realizaram foi 1.____,g6
Esse movimento não tem outro efeito que o de ajudar ainda mais o ataque das brancas, criando ameaças decisivas.
Tampouco seria bom mover outro dos peões que protegem o rei, como por exemplo 1.____,h6 devido ao sacrificio de peça com mate inevitável:
1.____, h6
2.Bxh6, gxh6
3.Qxh6
FEN : r2q1rk1/1ppb1p2/p1n4Q/7R/4P3/1B6/PPP2PPP/R5K1
Voltando à resposta dada pelas pretas:
1.____,g6
2.Bg5
FEN : r2q1rk1/1ppb1p1p/p1n3p1/6BR/4P3/1B6/PPP2PPP/R1Q3K1
Depois desta jogada, a situação das pretas torna-se desesperadora.
Se elas jogam:
2.____,Qc8 ou
2.____,Qe8 ou
2.____,Ne7
segue 3.Bf6 e não há defesa contra a ameaça de 4.Qh6 seguido de mate.
FEN : r3qrk1/1ppbnp1p/p4BpQ/7R/4P3/1B6/PPP2PPP/R5K1
Até mesmo se 2.____,gxh5 as brancas contestam:
1.____,g6
2.Bg5, gxh5
3.Bxd8, Rad8
4.Qg5+, Kh8
5.Qf6+,Kg8
6.Re1   seguido de 7.Re3 com perigoso ataque, além da vantagem material.
FEN : 3r1rk1/1ppb1p1p/p1n2Q2/7p/4P3/1B6/PPP2PPP/4R1K1
Voltaremos a este tema com outro exemplo, aguardem!
Bons estudos!
Abraço,

Marcos Natal

sábado, 25 de setembro de 2010

Para os iniciantes

Caros colegas,
Continuando com a série de exercícios para os iniciantes na arte do xadrez.
Movimentação do Rei:
Nos três diagramas mostrados a seguir, você deverá fazer um X em todas as casas que o Rei indicado poderá ocupar, ou os peões adversários que ele poderá capturar, no próximo movimento (sem que fique em xeque óbviamente):
FEN : 8/8/4K3/8/4k3/8/8/8
Neste primeiro diagrama o Rei branco é que move.
FEN : 8/3p2pp/5p2/3k1K2/4p1p1/4p3/8/8
Aquí também é o Rei branco que move.
FEN : 8/4p3/5p2/2pK1p2/3p4/8/8/8
Noções de xeque, xeque-mate e afogamento:
No diagrama a seguir, diga se a posição mostrada representa um xeque, um xeque-mate ou um afogamento:
FEN : 5k2/8/4QK2/8/8/8/8/8
Noções de tática:
No diagrama abaixo, as pretas movem e dão mate em 1 lance.
Qual é este lance?
FEN : r1b1k2r/ppp1qppp/5B2/3Pn3/8/8/PPP2PPP/RN1QKB1R
Continuaremos com os exercícios no próximo email, aguardem!
Um abraço,

Marcos Natal


--
Visite meus blogs!
Você vai gostar!
Exercícios de tática:
http://xadrezdomeujeito.blogspot.com/
Cartilha básica e curiosidades:

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

CUIDADO

Caros colegas,

 
Um fato por demais curioso que encontrei nos "170 Casos de Arbitragem" do AI Antonio Bento e que merece todo cuidado de quem vai participar de torneios de xadrez:
 
 

Falta de ética ou de educação?

Pergunta: Na nossa cidade existe um jogador fedorento que não cuida da higiene pessoal, não toma banho, não escova os dentes e por isso tem péssimo hálito e fede mais que um híbrido de bode com gambá. O árbitro pode aplicar alguma punição para esse jogador 'catinguento' que não tem nenhum asseio, se durante a partida ele ficar "bufando" em cima perturbando a concentração do indefeso adversário?

Resposta: Esta é uma das questões que costumam causar constrangimento e quase ninguém 'ousa' falar nisso.
O jogador "fedorento" que, deliberadamente, não toma banho, tem bafo de bode, não escova os dentes, etc., causa irritação ao adversário e transtorno para árbitros e jogadores, que estão eventualmente atuando na chamada 'área de risco',  bem como a organizadores de torneios.
Não importa se o jogador em questão é contumaz em dar insuportáveis baforadas justamente nos apuros de tempo do adversário. Mesmo em qualquer momento de reflexão do adversário isso pode e deve ser encarado como uma perturbação.
E o árbitro não pode se omitir em situações dessa natureza!
É evidente que o jogador que se propõe a jogar uma partida em tais condições certamente estará incomodando o adversário se, para tanto, age de modo intencional, devendo ser penalizado pelo árbitro, por infringir disposto no artigo 12.6 da Lei do Xadrez.
É conveniente lembrar que o artigo 13.4 da Lei do Xadrez traz em seu bojo um elenco de penalidades que podem e devem ser aplicadas ao jogador que está perturbando o adversário e criando embaraços à arbitragem.
"Art. 12.6 da lei do Xadrez - É proibido distrair ou perturbar o oponente de qualquer maneira ...".





Falta de ética ou de educação – Jogador fedorento perturba o adversário

Pergunta: O jogador fedorento, com mau-hálito e que dá bufadas durante o jogo.
Qual seria a punição para esse jogador? Que atitudes o árbitro tomaria?
O artigo 12.6 da Lei do Xadrez proíbe que o jogador distraia ou perturbe o adversário de qualquer forma.

Resposta: Indubitavelmente, o jogador que dá baforadas no adversário está transgredindo a lei e deve ser penalizado.
Para aplicar ao infrator, o árbitro tem a seu dispor variado elenco de penalidades.A punição dependerá da gravidade situação e da perturbação provocada.
É claro que o árbitro deve levar em conta, também, o comportamento pregresso do infrator.
Em tese, a penalidade pode variar desde a concessão de tempo para o adversário até a aplicação ao infrator da perda da partida.

 

 
Resumindo:
Antes de participar de uma partida de torneio, você deve:
1.Tomar banho;
2.Trocar meias e cuecas;
3.Passar um bom perfume;
4.Não comer nada que esteja temperado com alho e cebola, OK?
 
Cuidado......seu adversário pode reinvidicar o ponto....!!!!!
 
Abraços,
 
Marcos Natal

How to Read and Write Algebraic Chess Notation

 


Luckily, it only takes a few minutes to learn notation. In this article, you'll learn how to read and write algebraic notation -- the most common form of notation used today.
First, it's important to understand how the squares are named. The diagram shows the coordinates used to name the ranks and files. From White's perspective, the files from left to right are named "a" through "h." The ranks are are numbered 1 through 8, beginning with the rank containing White's pieces. Each square is named by combining its file and rank. For instance, the square the White king begins the game on is e1, while the Black queen starts on d8.
Algebraic notation also uses abbreviations for each type of piece. There are fairly simple to remember; in most cases, the abbreviation is the first letter of the piece's name.
  • Bishop
  • Rook
  • Queen
  • King
  • kNight
Note that the knight is abbreviated as N, to avoid confusion with the king. Also notice that pawns aren't assigned an abbreviation; for pawn moves, only the square names are used.
The basics of notation are very simple. To note a move, simply write the abbreviation of the piece moving, along with the square the piece is moving to. For example, moving a bishop to the d7 square is notated by writing Bd7. Pawn moves use only the square name; moving a pawn to e4 is written simply as e4. When written, moves are numbered as pairs; 1. e4 Nc6 would tell us that on his first move, White moved his e-pawn to e4, and Black responded by moving his knight to c6.
Capturing a piece is notated by placing an x between the piece abbreviation and the square name. So, if a knight captures a piece on a4, the correct notation is Nxa4. When a pawn makes a capture, we need to point out what file the pawn game from. If a pawn on e4 captures a piece on f5, the correct notation is exf5.
If a move results in a check, a + is usually added to the end of the move - for example, Qd8+. Checkmate is usually designated by either ++ or #.
Castling is denoted differently depending on which side the king is castled to. Castling kingside is represented by 0-0, while queenside castling is notated with 0-0-0.
Sometimes, more than one of the same type of piece could be moving to the target square. For instance, perhaps you have rooks on both a1 and f1, and move one of them to d1. Simply writing Rd1 wouldn't give us enough information; either of the rooks might have moved there. Instead, we add a little extra information so that we know which rook made the move. If it was the a1 rook, we'd write Rad1.
Some special pawn moves are worth noting. Pawn promotion is written by adding an = followed by the abbreviation of the piece that pawn was promoted to. For example, promoting a pawn on a8 to a queen can be notated as a8=Q. En passant can be treated as a normal capture, or if you feel the need to specify, you can add an e.p. or other note to the end of the move.
In addition to move lists, you might see additional annotations while reviewing a game. These analysis marks are commonly used to point out good, bad, or interesting moves.
  • !! - brilliant move
  • ! - good move
  • ? - bad move
  • ?? - terrible move/blunder
  • !? - interesting move
  • ?! - questionable move
This may seem like a lot of information to remember, but after a few games, chess notation will become second nature. A very short practice game follows -- if you follow the moves correctly, it should end in the famous checkmate for White known as Scholar's Mate.
1. e4 e5
2. Bc4 Nc6
3. Qf3 Bc5??
4. Qxf7++

Finales de Torre -- Lucena

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Xadrez é esporte ideal para a juventude

Xadrez é esporte ideal para a juventude

Leandro Silva, do A TARDE
Elói Corrêa / Agência A Tarde
Jovens se destacaram no último campeonato baiano de xadrez


http://www.atarde.com.br/esporte/noticia.jsf?id=1038103
Na terra mundialmente relacionada ao tabuleiro de acarajé, um outro tabuleiro, o de xadrez, tem o seu espaço reservado nas agendas de alguns dos seus jovens, como mostra o fato de ter um campeão baiano de 23 anos. Existe uma lenda que diz que o xadrez foi inventado para alegrar o coração de um antigo rei que tinha perdido o filho durante uma guerra. Hoje o jogo incide diretamente em outro órgão vital dos seres humanos, o cérebro. O jogo é indicado por psicólogos para diminuir o stress, também para aqueles que apresentam o quadro de depressão. E estudos indicam que previne doenças graves como o "Mal de Parkinson".

E iniciativas como a de Wilter Pereira, de Hemar Barata e do professor Edmário fazem ou pretendem fazer com que a prática do xadrez cresça entre os jovens, por intermédio das escolas.

O oficial do Exército, Wilter Pereira, é o diretor de desenvolvimento da Federação Baiana de Xadrez e trabalha um projeto que, segundo ele, tem metas de curto, médio e longo prazo.

"Isso importa muito até para o desenvolvimento do Brasil, viu? É uma pena que os nossos governantes não tenham percebido isso ainda", diz Wilter Pereira sobre a importância da prática do xadrez, principalmente, entre a população jovem.

Hemar Barata é outro desbravador. Ele é um dos responsáveis pelo desenvolvimento do xadrez escolar em Vitória da Conquista. Um trabalho que já traz frutos, já que a cidade é a que possui o maior número de jogadores cadastrados no Estado.

Clube de Xadrez - O professor Edmário, de Física, há muito tempo jogava xadrez com seus alunos no ISBA, mas depois os tabuleiros ficaram vazios. "Eu parei porque os meninos que já jogavam comigo estavam completando o curso e saindo da escola. Aí o diretor Carlos me procurou pra saber porque tinha parado de jogar com os meninos. Eu expliquei e ele falou que era pra eu trazer os ex-alunos para jogarem lá, novamente. Aí criamos o Clube de xadrez do ISBA", explica.

O grupo foi oficializado em janeiro desse ano com a presença de um dos grandes mestres internacionais, Gilberto Milos, uma das maiores autoridades de xadrez. Um dia da semana é aberto para pessoas de fora do clube.

"A idéia é implantar como matéria curricular. A direção já tá sinalizando pra isso", diz.

Escolas -
Essa é a cruzada de Wilter Pereira. Ele cita projetos funcionando no Brasil nesse sentido. "Existe um projeto muito avançado em Vitória da Conquista. A rede pública municipal é atendida por isso. A evasão escolar diminuiu. Houve um acréscimo da qualidade dos alunos em várias matérias, principalmente na matemática. Cerca de 30% de aumento no desempenho", diz Pereira.

O projeto que ele encabeça é de levar o xadrez para todos os currículos escolares do Brasil. Para chegar às escolas públicas, exige muito mais burocracia. Por isso, a idéia de Wilter é que a idéia pegue nas escolas particulares e, posteriormente, seja adotada também na rede pública.

"A gente contacta a escola particular e oferece o projeto. Cada aluno do ensino médio recebe um módulo de acordo com as características de idade e avanço escolar. Cada um receberia um jogo de xadrez completo. O professor encarregado de dar as aulas receberia um kit do professor, incluindo tabuleiro magnético", explica Wilter.

E as vantagens para os alunos? "As pessoas não têm idéia das revoluções que se passam nas nossas mentes naquelas horas de jogo. É uma batalha e você é o general. Em alguns lugares, pra você ter idéia, exige que a pessoa tenha conhecimento de xadrez para ser militar", diz Wilter.

domingo, 19 de setembro de 2010

Jovens falam sobre vantagens

 

Leandro Silva, do ATARDE
Jornal A Tarde
Cansado de ver um amigo esbanjar qualidades no futebol e sempre vencê-lo, Carlos Marx resolveu que tinha que recorrer a algum outro esporte para derrotá-lo e descontar a tristeza do futebol. "Um dia eu o vi ensinando a galera da rua a jogar xadrez, não quis aprender com ele, eu não podia admitir que não sabia jogar. Procurei na internet as regras, mas e aí? Com quem eu iria jogar? Não poderia ser com ele, eu poderia perder mil vezes pra qualquer pessoa, exceto pra ele. Comecei então a jogar em site, o que foi bem útil porque eu ia errando e meus oponentes me davam umas dicas pra não cometê-los novamente. Resultado: em um mês eu enfrentei esse brother e o venci, e fui além, consegui o que ele tanto queria e não conseguia: vencer seu próprio pai", relata a conquista Marx, de 17 anos, que continuou jogando, mesmo depois do objetivo concluído.

Lucas Nogueira, de Jequié, tem 16 anos, e começou a jogar por influência do professor de matemática Marcelo Pinho. Hoje, ele joga com os colegas na escola, não deixa de lado o futebol, mas enumera alguns benefícios da prática do xadrez. "Traz várias vantagens, raciocínio lógico bom, e rápido, além de ocupar a mente com uma coisa útil. Nos estudos, a concentração que adquiri jogando xadrez me ajudou muito", diz Lucas Nogueira.

Já se vão 10 anos desde que o xará dele, Lucas Ribeiro, de 21 anos, começou a jogar xadrez. "Mas logo me afastei dos tabuleiros por falta de motivação, interesse e adversários. Retornei aos 16 anos, quando um colega de classe me convidou para uma partida. A partir desse dia levei o xadrez a sério e sou muito apaixonado pelo jogo, atualmente estou afastado do cenário enxadrístico baiano. Costumava jogar em clubes de xadrez, com amigos e on line. Ultimamente o tempo é somente para eventuais partidas on line", conta.

Ele também enumera os bens obtidos com a prática. "Algumas das vantagens que o xadrez trouxe à minha vida foi ser mais perseverante em alcançar objetivos. Melhorou minha capacidade de raciocinar logicamente e rapidamente. Melhorei o senso crítico e acentuei a capacidade de avaliar propostas e idéias. Já nos estudos não obtive muita diferença, pois já era bom aluno, mas ajudou. Fiquei mais concentrado e perspicaz", diz Ribeiro, que prefere o tabuleiro do que os gramados de futebol.

Carlos Marx compartilha do mesmo gosto. "Prefiro o xadrez e respondo isso sem pestanejar. Eu adoro futebol, mas não tenho nenhuma habilidade, então prefiro só assistir. Ajudou muito a ser mais paciente e a pensar e pesar os benefícios e as conseqüências antes de fazer qualquer coisa e me ajudou a ter uma mente mais analítica e disciplinada.

sábado, 18 de setembro de 2010

Plano de Jogo

Caros colegas,
O texto que reproduzo abaixo é de autoria do colega Flavio Patricio Doro.


No xadrez como na vida, plano é projetar com antecedência aquilo que
você pretende fazer. É um conjunto de ações previsto de antemão, para
alcançar uma meta a partir do cenário atual. É a "rota" por meio da
qual se pretende sair do ponto A e chegar ao ponto B.

Planos podem ser de curto ou de longo prazo; podem ser genéricos ou
específicos; podem ser mal ou bem elaborados. Mas sempre pressupõem
um conjunto de ações, de lances, tendo em mente um determinado
objetivo que é desejável mas não pode ser alcançado imediatamente
(porque, se pudesse, não seria preciso planejar, certo?).

Exemplos de plano genérico:

- Atacar na ala do rei;
- Trocar o máximo de peças para explorar a vantagem de um peão (que
já se obteve);
- Avançar a maioria de peões para coroar um deles.

Exemplos mais específicos:

- Atacar a casa h7 para induzir as pretas a jogar ...g6, criando uma
debilidade nas casas pretas que possa ser explorada.
- Transferir o bispo de e7 a b6 por meio da manobra ...c6, ...Bd8,
etc., para torná-lo mais eficaz e apontar para o roque inimigo.
- Preparar o avanço f2-f4 por meio de g2-g3, Nf3-h4, etc., com a
finalidade de obter a iniciativa da partida.

Mais uma vez devo mencionar o livro Piense como un Gran Maestro, de
Kotov, que aborda o tema do planejamento, especialmente a importância
da flexibilidade. Algumas afirmações típicas desse autor são:

- O tipo de plano que o jogador tende a considerar sofre influência,
principalmente, das características da posição; no entanto, a
personalidade do jogador também pesa.
- Em geral não há um plano para a partida toda, mas sim uma série de
pequenos planos concebidos sucessivamente durante a partida.
- Seja flexível. Se o adversário faz um lance inesperado que muda a
posição por completo, por que persistir num plano que não mais se
adapta à nova situação? Nesses casos é preciso conceber outro plano.

Estratégia Moderna do Xadrez, de Pachman, é formado essencialmente
pela ilustração dos planos de jogo considerados mais adequados para
as características da posição. Por exemplo, quem tem a vantagem de
dois bispos contra bispo e cavalo deve procurar abrir a posição; quem
tem peões dobrados ou atrasados deve tentar evitar que eles sejam
bloqueados; quem tem peões isolados ou suspensos deve procurar evitar
trocas de peças e tentar preparar o avanço do peão da dama à quinta
fila. O livro aborda dezenas de situações relativamente comuns,
explica suas características e dá uma sugestão ou orientação acerca
de como proceder em cada caso.

[]s
Flavio
.

Curiosidades sobre o xadrez

Caros colegas,
Em 1904, seis mestres do xadrez mundial jogaram um torneio "double rounds" em Monte Carlo. O tempo limite era de 16 movimentos para uma hora. Marshall tinha uma posição vencedora contra Maróczy na última rodada, mas perdeu a partida. Maróczy venceu o torneio com meio ponto de vantagem sobre Schlechter. Marshall ficou em terceiro. O casino disponibilizou 5000 francos em prêmios. A distribuição do dinheiro foi feita aos participantes, antes do seu início. Maróczy ganhou um troféu extra, porque ele  venceu o evento pela segunda vez.
Géza Maróczy in 1902
Monte Carlo looked like the Wild West

Um torneio internacional organizado pela Federação Holandesa de Xadrez, realizou-se em Kurhaus in Scheveningen em 1905. Todos os custos do torneio foram cobertos através de doações feitas pelos membros da própria Federação. A restrição de tempo foi de 34 movimentos para duas horas e 17 em uma hora. Os prêmios foram conquistados por Marshall 11 ½, Leussen 9,  Spielmann 8 ½, Duras e Swiderski 8, Loman 7 1/2 e Leonhardt 7. Frank Marshall ganhou o primeiro prêmio da ƒ400. Benjamin Leussen ganhou ƒ250 e o título de «Mestre de Xadrez da Federação Holandesa". Ele alcançou o maior feito de um jogador holandês, antes de Euwe.
A variação da Defesa Siciliana, que fez o resort Scheveningen ficar famoso no xadrez mundial, foi alí jogada por Euwe em 1923.
Frank James Marshall
Kurhaus in Scheveningen
Mais curiosidades sobre o xadrez?
Visite:

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Campeonato Brasileiro de Xadrez Escolar 2010 - Em Poços de Caldas

Captado no blog: http://xadrezsempre.blogspot.com/2010/09/campeonato-brasileiro-de-xadrez-escolar_12.html


Devido a dificuldade de conexão não foi possível divulgar passo a passo do Campeonato Brasileiro de Xadrez Escolar de 2010.

Vamos aos resultados de Ribeirão Preto ( COC e Liceu Contemporâneo)

4o Lugar Masculino 5o Ano - Thiago Alves de Lima - COC Ribeirão
6o Lugar Feminino 9o Ano - Larissa Alves de Lima - COC Ribeirão
11o Lugar Masculino 7o Ano  - Felipe Sandron Takata - Liceu Contemporâneo
11o Lugar Masculino 7o Ano - Leonardo DÁlmada Gardim - Liceu Contemporâneo
12o  Lugar Feminino 8o Ano  - Rebeca Lot Schucman - COC Ribeirão





As fotos também foram poucas....rsrsrsrsr.



Foi muito legal este torneio.... Até o ano que vem.....

sábado, 11 de setembro de 2010

Terapia com xadrez

Contribuição enviada por Daliane Batista Cardoso*
Muito mais do que um simples entretenimento, o jogo de xadrez vem se mostrando uma ferramenta importante para o desenvolvimento infantil. Tanto é que já faz parte do currículo escolar em Países como a França e a Holanda. Enxadrista desde pequeno, graças a uma paixão de família pelo jogo, o psicólogo Estevan Matheus resolveu aproveitar os benefícios do xadrez na terapia com crianças e vem conseguindo bastante êxito. "O xadrez acaba despertando capacidades como memória, agilidade do pensamento, a segurança e o aprendizado na vitória e na derrota, coisas muito importantes no dia-a-dia das crianças e na formação do indivíduo", explica Matheus.
Segundo o psicólogo a prática do jogo implica no exercício da sociabilidade, da autoconfiança, do raciocínio analítico e sintético e até mesmo da organização estratégica do estudo o que acaba inclusive auxiliando na melhora do rendimento escolar, principalmente em termos de concentração. "Atualmente vemos muitas crianças com DDA – déficit de atenção, o xadrez auxilia muito nestes casos e a criança passa a ter avanços grandes em relação a atenção e memorização", revela.
O trabalho de Matheus começa com uma conversa franca com os pais para que ele possa conhecer a história de vida da criança, o contexto em que ela está inserida e os motivos que os levaram a buscar auxílio na terapia. O passo seguinte é o diálogo com a criança, etapa importante para todo o processo de trabalho posterior. Só após estas ações é que Matheus inicia a familiarização da criança com o jogo de xadrez. Para isso, conta um pouco da história do xadrez e explica o significado de cada peça do tabuleiro. No momento seguinte, o psicólogo pede para que a criança desenhe cada uma das peças do jogo e que as relacione com as pessoas do seu convívio e o porquê da relação. O processo como um todo dura cerca de dez sessões. A partir disso é que Matheus começa a ensinar o jogo propriamente, procurando trabalhar e enfocar os medos e emoções da criança.
Estudos revelam que xadrez traz benefícios às crianças e adolescentes
Segundo Matheus, alguns estudos apontam os benefícios do jogo de xadrez para crianças e adolescentes. O psicólogo Joan Christiaen em sua tese de doutorado intitulada Chess & Cognitive Development, publicada em 1975, fez um teste com vinte estudantes de 5ª série. Durante um ano ele aplicou o jogo de xadrez regularmente. O grupo que jogou xadrez regularmente mostrou uma grande diferença em relação aos estudantes que não jogavam. Resumindo, Christiaen conseguiu demonstrar um relevante número que na aplicação dos testes cognitivos de Jean Piaget deram vantagens cognitivas em relação aos alunos que não tiveram aulas de xadrez. Ou seja, o jogo de xadrez deixa as crianças mais espertas dentro da sala de aula.
Fonte: Por Inês de Divitis (Site BemStar)
* Educadora física, colaboradora e parceira da GeroVida

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Xadrez vira aliado do ensino de matemática

Jogo milenar é adotado em escolas e melhora concentração e disciplina dentro e fora das salas de aula
Clarissa Carvalhaes - Repórter - 8/09/2010 - 03:39
Os alunos das escolas públicas e particulares de Belo Horizonte e Região Metropolitana têm um novo aliado: o xadrez. Desde quando o jogo passou a integrar as atividades dentro e fora das salas de aula, a concentração e a disciplina têm feito parte do dia a dia dos estudantes. Um comportamento que excede os muros das escolas.

Há quatro anos, as aulas de matemática na Escola Estadual Menino Jesus de Praga, no Bairro Lagoa, Região de Venda Nova, não são mais as mesmas. As boas notas, que antes passavam longe dos diários da disciplina, caminham lado a lado com o respeito e a dedicação aos estudos.

Quando as primeiras aulas de xadrez começaram, a aderência foi de cerca de cem alunos. Atualmente, a escola conta com 400 estudantes envolvidos. E o jogo, que antes era restrito às aulas de matemática, é hoje trabalhado nas aulas de educação física e também faz parte da programação do Escola Integrada. Segundo a diretora da instituição, Desiré Emmels, até o índice de violência dentro da escola diminuiu. "Os estudantes estão mais tranquilos e concentrados, as discussões entre eles diminuíram, assim como os conflitos entre os alunos", disse.

Dados da Secretaria de Estado de Defesa Social, de 2010, mostram que a Região de Venda de Nova está entre as duas mais violentas da capital - disputando a primeira colocação com a Regional Barreiro. Entretanto, o subcomandante do 49º Batalhão da PM, major Lucas, afirmou que, há dois anos, o batalhão não é acionado pela direção da escola para resolver conflitos, e atribui isso ao esporte.

Na Escola Estadual Silviano Brandão, no Bairro Lagoinha, também Região de Venda Nova, a indisciplina está fora das salas de aula desde 2001, quando o xadrez passou a fazer parte da rotina dos estudantes. Para os que estavam carentes de opções de lazer, o xadrez chegou como uma conquista, destoando da realidade dos jovens da comunidade - sempre tão acostumados a não desfrutar de oportunidades de entretenimento.

Em 2008, a adesão foi tão grande que a escola decidiu promover o primeiro campeonato de xadrez. "Mais de mil estudantes vieram até nossa escola só para jogar. São jovens que não têm muitas alternativas de lazer, mas, quando uma chance aparece, faturam campeonatos e trazem troféus para a escola", disse a diretora do colégio, Nilce Faria Campos, que acredita que o jogo deveria fazer parte da grade curricular de ensino.

Na Escola Municipal Paulo Freire, Bairro Ribeiro de Abreu, Região Norte de BH, o xadrez foi implantado há três anos, com a adesão de 12 alunos. Atualmente, com 40 participantes, o jogo está em todos os cantos da escola. Foi pintado em mesas, bancos e, se não for suficiente para atender à demanda, ainda há tapetes e tabuleiros de xadrez adquiridos pelo colégio.

A coordenadora do Escola Integrada da instituição, Maria do Socorro Lages Gusmão, diz que os alunos passaram a ensinar uns aos outros e até os professores que não sabem jogar, se dispõem a aprender. O resultado para tanta dedicação não poderia ser melhor: a aversão pela temida disciplina do números se transformou em desafio, e hoje, os estudantes que antes não gostavam da disciplina participam das Olimpíadas de Matemática.

Lógica, tática e estratégia

Mas o que faz do xadrez um jogo tão diferente dos demais? Ao contrário de muitos outros - onde a sorte e força prevalecem - para ser um vencedor no xadrez é preciso considerar a lógica, a estratégia e a tática. E quem joga passa a desenvolver comportamentos e sensações importantes não só dentro da escola, como também na vida.

A partir do xadrez, o jogador desenvolve o autocontrole psicofísico, a capacidade de pensar com abrangência e profundidade, a tenacidade e empenho no progresso contínuo, a criatividade e imaginação, além de ampliar o respeito à opinião do interlocutor. Também sente-se estimulado a tomar decisões com autonomia e exercitar o pensamento lógico e a fluidez de raciocínio.

O professor de Educação Física da Escola Municipal Paulo Freire, Francislau Ribeiro Barbosa, 27 anos, conta que a maior dificuldade do xadrez está no decorar das peças e cada uma de suas funções, "mas a partir da sétima aula já é possível jogar com facilidade", garante. Aluno de Francislau, o estudante Jeferson Pereira Alves, 15 anos, está na 8ª série e desde quando começou a jogar xadrez, há dois anos, viu seu poder de concentração aumentar.

O professor de xadrez do Colégio Nossa Senhora das Dores, Sérgio Luiz do Nascimento destaca que em países como Estados Unidos, Inglaterra e França, o xadrez é considerado uma matéria de relevância. "Não estamos apenas falando em movimentar peças; o xadrez ensina a humildade, a perseverança, a medir as consequências dos atos, a pensar no futuro. Ele abre as portas para a cultura. É um grande professor para a vida".

Que hacer con las Torres -- Ajedrez

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Mate de Anastasia

Caros colegas,
 
Vocês conhecem o "Anastasia's Mate"?
Ele foi citado na novela de W.Heinse, "Anastasia and Chess", de 1803.
A posição é a seguinte:
 
Diagrama 1
 
 
FEN : 5rk1/5ppp/8/2RN3R/8/8/8/5K2 w
Jogam as brancas.
Você conseguiria mostrar como as brancas dão mate em 3 lances?
 
Uma pequena variação deste mate surge na posição seguinte:
 
Diagrama 2
 
 
FEN : 5rk1/5p1p/5Pp1/4Q3/8/8/5K2/R7 w
Jogam as Brancas.
Aquí as brancas dão mate em 4 lances.
Mostre como.
 
 
 
Soluções:
 
Para o diagrama 1:
 
[ 1.Ne7+,Kh8 ; 2.Rxh7+,Kxh7 ; 3.Rh5++ ]
 
Para o diagrama 2:
 
[ 1.Qg5,Kh8 ; 2.Qh6,Rg8 ; 3.Qxh7+,Kxh7 ; 4.Rh1++ ]

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Para os iniciantes

 

 
Continuando com a série de exercícios para os iniciantes na arte do xadrez.
 
Movimentação do Rei:
 
No diagrama mostrado abaixo, faça um X em todas as casas que o Rei poderá ocupar no próximo movimento:
 
 
FEN : 8/8/8/4K3/8/8/8/8
 
 
Da mesma forma que o exercício anterior, faça um X em todas as casas que o Rei poderá ocupar no próximo movimento:
 
 
FEN : 8/8/8/4P3/2PK4/3P4/8/8
 
 
Noções de xeque, xeque-mate e afogamento:
 
No diagrama a seguir, diga se a posição mostrada representa um xeque, um xeque-mate ou um afogamento:
 
 
 
FEN : 7k/pp4Q1/4q3/8/7b/8/1B4PP/K7
 
 
Noções de tática:
 
No diagrama abaixo, as pretas movem e dão mate em 1 lance.
Qual é este lance?
 
 
FEN : r1b1q1kr/ppNnb1pp/5n2/8/3P4/8/PPP2PPP/R1BQKB1R
 
 
 
Marcos Natal