sexta-feira, 25 de junho de 2010

Vocês sabem efetuar o roque corretamente?

 

 "Esse Tal de 'Roque', quem sabe o ritual correto?

Pergunta: Quando o jogador ao realizar o roque, movimenta primeiro a torre, o adversário reclama, o que acontece? Qual deve ser a decisão do árbitro numa competição oficial, valendo rating FIDE? E nas competições escolares com crianças?
Eis a resposta de um árbitro internacional: AI Antonio Bento de Araujo Lima Filho

Resposta: Diz o artigo 4.4 "b" da lei do xadrez que: "Se o jogador, intencionalmente, toca numa torre e em seguida em seu rei, não pode rocar nesta ala nesta jogada, e a situação deverá ser regulada pelo Artigo 4.3 (a)."
O que o legislador quis dizer com isso?
Simplesmente que se o jogador tocar primeiro na torre não poderá efetuar o roque e deverá jogar com a peça tocada, no caso, a torre! Trata-se de uma terrível punição que pode comprometer a segurança do seu rei.
Isso é aplicado pelos árbitros em eventos valendo norma ou rating FIDE, bem como nos torneios oficiais disputados por jogadores experientes. Mas, o próprio Comitê de Arbitragem da FIDE admite que os árbitros não devem ser tão rigorosos nas competições envolvendo jovens jogadores menores de 14 anos, deixando o jogador rocar e posteriormente explicar como deve ser feito o movimento do roque, como determina a lei do xadrez.
O ritual correto da feitura do roque está descrito no artigo 3.8 "a" "ii": ... é um lance efetuado com o rei e uma das torres, de mesma cor, na mesma fileira, levando-se em conta como um único lance de rei e executado da seguinte forma: o rei é transferido de sua casa original para duas casas em direção à torre, em seguida, a torre é transferida para a casa a que o rei acaba de atravessar.
Conclusão: O árbitro deve ser rigoroso em competições oficiais. Em eventos escolares, envolvendo alunos das primeiras séries do ensino fundamental, o árbitro não deverá intervir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário