quarta-feira, 30 de junho de 2010

Sobre a FEN

 

 
Alguns leitores do blog me perguntam o que é FEN, ou seja, a anotação que coloco sempre após cada diagrama.
Vejamos então o que é isso.
O texto abaixo foi baseado em um arquivo postado no site do CXV-Clube de Xadrez Virtual, do qual faço parte já há alguns anos:
 
 
Notação Forsyth-Edwards ou FEN (do inglês, Forsyth-Edwards Notation) é um método de notação utilizado para descrever uma determinada posição de peças em um tabuleiro de xadrez.
A notação Forsyth (FEN: FORSYTH-EDWARS NOTATION), criada pelo escocês David Forsyth, no fim do século XIX, destina-se a copiar e apresentar posições do jogo de Xadrez e não os lances de uma partida.

Os números indicam a quantidade de casas vazias consecutivas em cada linha do tabuleiro, a contar do alto do diagrama, para quem joga com as brancas.    
Letras maiúsculas indicam peças brancas e minúsculas, peças pretas. Note que cada posição consta de 8 conjunto de símbolos (números e letras), um conjunto para cada linha do tabuleiro, a contar do alto, linha 8 do tabuleiro.
Eis suas regras básicas:
1 - O tabuleiro é, literalmente, "lido" como se fosse uma página de um livro: da esquerda para a direita e de cima para baixo, casa por casa e linha por linha.     
2 - Cada peça é indicada por sua letra inicial. As brancas, com letras maiúsculas e as pretas com minúsculas.     
3 - A quantidade de casas consecutivas vazias é indicada por um algarismo.     
4 - Cada linha é separada da seguinte por uma barra ( / ) ou por um hífem ( - ).

Assim a linha anotada por 3KbRp1 tem suas 3 casas iniciais vazias, seguidas de um Rei branco, um Bispo preto, uma Torre branca, um Peão preto e a última casa vazia. Evidentemente uma linha toda vazia será indicada por um algarismo 8.     
Os erros mais frequentes são:
a) esquecer a convenção das cores (Brancas=maiúscilas e pretas=minúsculas); e
b) esquecer de completar a linha até o fim, inclusive se terminar por casas vazias.
 
Utilizo sempre o nome das peças em inglês, com "R" para Torre, "N" para Cavalo, "B" para Bispo, "Q" para Dama, "K" para Rei e "P" para peão. Após a posição, anota-se com uma letra qual o lado que deve jogar. A informação seguinte indica qual o roque que os jogadores podem fazer. A seguir, vem o endereço da casa de en-passant (só existe depois de uma jogada de peão, em que o peão anda duas casas). Seguem números que indicam quantos movimentos foram executados depois da última captura ou da última movimentação de peões, e o número de jogadas (incrementado sempre que as pretas fizerem um movimento):
 
FEN: rnbqkbnr/pppppppp/8/8/8/8/PPPPPPPP/RNBQKBNR w KQkq - 0 1
 
Acima a FEN representa a posição inicial das peças em uma partida de xadrez, ou seja, representa o diagrama abaixo:
 
 
 
Para simplificar, eu só coloco as FEN até a letra que representa o lado que tem a vez de jogar, ou seja: w ou b (white ou black).
 
Exemplo para uma partida em andamento:
 
 
FEN : 5r1k/6p1/p2p1rRp/2pPpq1Q/8/PPp1P3/5P1R/K7 w
 
A propósito, nesta posição, são as brancas que jogam e dão mate em dois lances.
 
Solução:

[ 1.Qxh6+,gxh6 ; 2.Rhxh6++ ]

Exercícios básicos

 

Caros colegas que estão se iniciando no xadrez,
 
Vamos treinar um pouquinho?
Tente resolver os exercícios mostrados abaixo:
 
Diagrama 1
 
 
FEN : 6k1/5ppp/8/8/8/8/8/R1K5 w
Brancas jogam e dão mate em 1 lance.
 
Diagrama 2
 
 
FEN : 2r3k1/5ppp/8/2q5/8/4Q3/5PPP/4R1K1 w
Brancas jogam e dão mate em 2 lances.
 
 
Diagrama 3
 
 
FEN : 3qkb2/3pp3/8/8/8/8/1P1PP3/1BKQ4 w 
Brancas jogam e dão mate em 1 lance.
 
 
Diagrama 4
 
 
FEN : rnbqkbn1/ppppp3/7r/6pp/3P1p2/3BP1B1/PPP2PPP/RN1QK1NR w
Brancas jogam e dão mate em 2 lances.
 
 
Soluções:
 
Para o diagrama 1:
 
[ 1.Ra8++ ]
 
Para o diagrama 2:
 
[ 1.Qxc5,Rxc5 ; 2.Re8++ ]
 
Para o diagrama 3:
 
[ 1.Bg6++ ]
 
Para o diagrama 4:
 
[ 1.Qxh5+,Rxh5 ; 2.Bg6++ ]

Meio movimento

 

 
Olhando para o diagrama abaixo, você podería dizer como as brancas dão xeque mate nas pretas realizando somente metade de um movimento regulamentar do xadrez?
 
 
 
FEN : 8/8/8/8/8/8/7R/2k3KR
 
 
Solução:
 
[ A única possibilidade disto acontecer, seria o Rei branco e a Torre de h1 não terem se movido até essa posição e o jogador de brancas já ter feito a primeira parte de um roque na ala do Rei, ou seja, já ter movido o Rei branco para g1. Agora basta completar o roque, movendo a Torre para f1, dando mate no Rei preto. ]

Definições importantes

 

Caros colegas,
 
Frequentemente encontramos nos livros de xadrez alguns termos que não são ainda conhecidos, principalmente quando começamos nossos estudos sem a ajuda de um monitor ou professor de xadrez.
Por exemplo:
 
O que é o pequeno centro e o grande centro?
Vocês sabem o que significa ala da Dama e ala do Rei?
E lado das brancas e lado das pretas?
 
Respostas:
 
O grande centro é formado pelas casas que se encontram no centro do tabuleiro, isto é, o quadrado que tem, como limites, as casas c3-c6-f6-f3-c3 (em amarelo no primeiro diagrama).
O pequeno centro, mais conhecido simplesmente como "centro" na literatura enxadrística, é o quadrado formado pelas casas d4-d5-e4-e5 (marcado com X no primeiro diagrama).
 
Ala da Dama é o lado do tabuleiro que compreende as colunas a,b,c,d, ou seja, se dividirmos o tabuleiro ao meio no sentido vertical, a ala da Dama ficará à nossa esquerda (em amarelo no segundo diagrama).
Já a ala do Rei é a metade direita do tabuleiro, ou seja, é formada pelas colunas e,f,g,h (em azul no segundo diagrama).
 
O lado das brancas está representado em vermelho no terceiro diagrama e corresponde às linhas 1,2,3,4 ou seja, a parte de baixo do tabuleiro se o dividirmos no sentido horizontal.
Consequentemente, o lado das pretas é o marcado em verde no terceiro diagrama, formado pelas linhas 5,6,7,8 no lado de cima do tabuleiro.

Movimentos Especiais de Peões

 

 
Ilustrações sobre duas regras especiais do xadrez que se referem aos Peões:
 
Promoção
 
Analisem o diagrama abaixo:
 
 
 
FEN : 6nr/5Ppk/7p/3K4/8/8/8/8 w
As brancas jogam.
O que acontecerá na partida se as brancas, neste momento, promoverem o seu Peão f em uma Dama?
E se o promoverem a um Cavalo?
 
Solução:
 
Se o promoverem a uma Dama, as brancas perdem a partida. Vejam:
 
 
 
FEN : 5Q1r/6pk/5n1p/3K4/8/8/8/8 w
1.f8=Q,Nf6+ e as brancas perdem a Dama e a partida!
 
 
Agora, se as brancas promoverem seu Peão em um Cavalo, dão mate imediato nas pretas. Vejam:
 
 
 
FEN : 5Nnr/6pk/7p/3K4/8/8/8/8 b
1.f8=N++
 
 
En Passant
 
Analisem o diagrama abaixo:
 
 
FEN : 2Q5/kp6/p7/P1P5/KP6/6r1/8/8 b
As pretas jogam.
Nesta posição, se as pretas jogarem agora 1._____,b5 dão mate nas brancas.
Está correta esta afirmação?
 
 
Solução:
 
A afirmação não está correta, pois são as brancas que dão mate nas pretas através do movimento especial chamado "en passant". Vejam:
 
 
FEN : 2Q5/k7/p7/PpP5/KP6/6r1/8/8 w
1._____,b5+
 
 
 
FEN : 2Q5/k7/pP6/2P5/KP6/6r1/8/8 b
2.axb6++ "en passant",  e as brancas ganham!

Arbitragem

 

Algumas perguntinhas capciosas para vocês:
1. Como funciona a tal regra da "peça tocada é peça jogada"?
2. Em um torneio, o árbitro está observando uma das partidas quando o jogador de brancas toca em uma de suas Torres com a intenção de movimentá-la, entretanto, analisando melhor a posição, repara que talvez esse não seja um bom lance.
Coloca a Torre de volta em seu lugar e efetua um movimento com a sua Dama, acionando o relógio.
Questões:
2.1 - O árbitro deve ficar calado diante do fato?
2.2 - O árbitro acusa que o jogador tinha tocado a Torre e deve movimentar essa peça?
2.3 - Há punição cabível para o fato narrado?
3. Supondo que o jogador de brancas, ao perceber que o árbitro viu a troca de movimentos, resolve perguntar ao adversário se ele permite a volta do lance com a Torre, qual o procedimento correto que se deve tomar?
3.1 - O adversário pode permitir a troca de movimentos?
3.2 - O árbitro continua calado?
4. Não estando o árbitro presente, o jogador de pretas paralisa o relógio, chama o árbitro e faz a reclamação.
4.1 - Qual o procedimento que o árbitro deverá tomar?
Boas pergunta, não?
E aí, cadê as respostas?
Respostas:
Para a pergunta 1:
[ Cabe, aquí, todo o artigo 4 das "Leis da FIDE":
4. Ato de mover as peças
4.1 Cada lance deve ser feito somente com uma das mãos.
4.2 Desde que antes manifeste sua intenção (por exemplo, dizendo eu arrumo "j'adoube" ou "I adjust"), o jogador que tem a vez de jogar pode arrumar uma ou mais peças em suas casas.
4.3 Excetuado o disposto no Artigo 4.2, se o jogador que tem a vez de jogar toca deliberadamente no tabuleiro:
a.       uma ou mais de suas próprias peças, deverá jogar  a primeira peça tocada que possa ser movida, ou
b.      uma ou mais peças de seu adversário, deverá capturar a primeira peça tocada, que possa ser capturada, ou
uma peça de cada cor, deverá capturar a peça do oponente com a sua peça ou, se isso for ilegal,  mover ou capturar a primeira peça tocada que possa ser jogada ou capturada. Se não estiver claro qual peça foi tocada antes,   deve-se considerar que a peça do próprio jogador foi tocada antes da do seu oponente.
4.4 Se o jogador tendo a vez de jogar:
a.       deliberadamente toca no seu rei e torre deverá rocar nesta ala se o movimento for legal.
b.      deliberadamente toca uma  torre e em seguida em seu rei, não lhe sendo permitido rocar nesta ala nesta jogada e a situação deverá ser regulada pelo Artigo 4.3.a
c.       pretendendo rocar, toca o rei ou o rei e uma torre ao mesmo tempo, mas o roque neste lado é ilegal, o jogador deve fazer outro lance legal com seu rei (o que pode incluir o roque para o outro lado). Se o rei não tiver nenhum lance legal, o jogador está liberado para fazer qualquer outra jogada legal.
promove um peão, a escolha da peça somente está finalizada, quando a peça tiver tocado na casa de promoção.
4.5 Se nenhuma das peças tocadas pode ser movida ou capturada, o jogador pode fazer qualquer jogada legal.
4.6 Quando uma peça for solta numa casa, como consequência de um lance legal ou parte de um lance legal, ela não pode ser movida para outra casa neste lance. A jogada é então considerada como efetuada:
a.       no caso de uma captura, quando a peça capturada tiver sido retirada do tabuleiro e o jogador, após colocar a sua própria peça na nova casa, tiver soltado da mão a peça capturada;
b.      no caso de roque, quando o jogador tiver soltado da mão a torre na casa previamente atravessada pelo rei. Quando o jogador tiver soltado da mão o rei, o lance não estaria implementado, mas o jogador não mais tem o direito de fazer qualquer outro lance a não ser rocar naquela ala, se isto for legal;
c. no caso de promoção de peão, quando o peão tiver sido removido do tabuleiro e a mão do jogador tiver soltado a nova peça após colocá-la na casa de promoção. Se o jogador já tiver soltado de sua mão o peão que alcançou a casa de promoção, o movimento ainda não está efetuado, mas o jogador não tem mais o direito de jogar o peão para outra casa.
A jogada é considerada legal quando todos os requisitos relevantes do Artigo 3 tiverem sido cumpridos. Se a jogada não for legal, deve ser efetuado outro lance legal conforme mencionado no Artigo 4.5.
O jogador perde o direito de reclamar contra a violação do Artigo 4 por parte do oponente, a partir do momento em que deliberadamente toque numa peça. ]
Para as perguntas 2.1 e 2.2:
[ Temos que saber qual o tempo de reflexão utilizado na partida. Se for uma partida rápida ou relâmpago, o árbitro só intervem com a solicitação de um dos jogadores. Se for uma partida pensada, o árbitro comunica ao jogador que ele tocou em uma peça com movimento legal e o faz confirmar o lance correto, ou seja, voltando o lance da Dama e fazendo o lance com a Torre. ]
Para a pergunta 2.3:
[ O arbitro deve advertir verbalmente o infrator e cabe um acrescimo de 2 minutos ao tempo adversário. Na reincidencia a seguir, o árbitro pode até decretar a perda do ponto (o que nao significa que o adversario ganhe,somente se tiver material) por desobediencia ao árbitro e as regras. Deve-se avaliar também em que tempo de evento isto ocorre,com o árbitro sendo mais tolerante num campeonato sub 14 ou de iniciantes (desconhecimento maior) e mais rigoroso num evento FIDE ou envolvendo jogadores experientes, onde tais atos nao deveriam acontecer. (contribuição de Marcelo Einhorn) ]
Para a pergunta 3.1:
[ Não.E Mesmo que permita,o árbitro não pode permitir. (contribuição de Marcelo Einhorn) ]
Para a pergunta 3.2:
[ Não e deve advertir o infrator. ]
Para a pergunta 4.1:
[ Trata-se de um dos casos mais complicados da regra,pois é a palavra de um contra o outro, se não houver testemunhas isentas. Os árbitros mais experientes conseguem arrumar uma solução mais satisfatória. O árbitro deve ficar de olho no suposto infrator. (contribuição de Marcelo Einhorn) ]

Desafio interessante

 

 
Um bom treino de movimentação do Cavalo para quem está começando no xadrez:
 
 
 
FEN : 8/8/2p2p2/8/8/2p2p2/8/N7
A partir da posição mostrada acima, você terá que fazer o Cavalo branco passar pelos outros três cantos do tabuleiro e depois voltar até a1.
Regras:
1. Só o Cavalo anda. Os Peões ficam estáticos.
2. O Cavalo não pode ocupar as casas sob o domínio dos Peões pretos.
3. O Cavalo não pode capturar os Peões pretos.
4. O Cavalo não pode passar mais de uma vez pela mesma casa.
 
E aí, vamos tentar?
 
Solução:
 
[ Na1-b3-c5-a6-c7-a8-b6-d7-f8-g6-h8-f7-h6-f5-g3-h1-f2-d1-e3-c2-a1 ]

Inclusão do Xadrez no currículo do 1.º ciclo/ferramenta de ensino

Caros colegas,
 
 
The New York City Schools Chess Program Report
CIERS
Chess - A learning Tool
Benefícios do Xadrez na Educação
 
http://www.parents.com/big-kids/learning/intellectual-growth/the-brainy-benefits-of-chess/
http://www.ctchess.com/index.php?sect=why
 
 
 
 
 
Inclusão do Xadrez no currículo do 1.º ciclo/ferramenta de ensino
Inclusão do Xadrez no currículo do 1.º ciclo/ferramenta de ensino Texto da Proposta

Inclusão do xadrez como ferramenta social positiva e no desenvolvimento de capacidades cognitiva e criativa, aptidões numéricas e verbais, assim como da memória, seja no âmbito da disciplina de matemática quer como unidade curricular ocupacional ou optativa.
Fundamentação

O xadrez é um clássico jogo de estratégia, inventado há mais de 1500 anos atrás da Índia. Diz a lenda que o governante da Índia, pediu aos seus sábios para planear um metodo de ensino de forma que os filhos da família real se tornassem pensadores e generais exímios no campo de batalha. O xadrez surgiu como solução. Ao longo dos séculos, desde a sua invenção, o xadrez extendeu-se a todos os países do mundo. Apesar de inúmeros outros jogos se extinguiram, o xadrez persistiu. Nos Estados Unidos, tem recebido apoios por muitos educadores, que vão desde  Benjamin Franklin ao ex-secretário de Educação Norte-Americano, Terrell Bell. 

Porque ensinar xadrez?

O xadrez desenvolve as capacidades das crianças. Isso acontece porque estimula:

a CONCENTRAÇÃO - as crianças aprendem os benefícios de observar cuidadosamente  e de se concentrarem. Se não observam o que se passa, não conseguem responder, não importa o quão capacitadas são.

a VISUALIZAÇÃO - as crianças são estimuladas a imaginar uma sequência de acções antes de ocorrerem. Ensinando-lhes a habilidade, através do treino, de imaginarem os movimentos, primeiro um, depois vários, antes destes ocorrerem no tabuleiro.

o "PENSAR À FRENTE" - as crianças são ensinadas a pensar primeiro e a agir depois. Ensinando-lhes a responderem para si mesmas "o que pode acontecer e como posso reagir a isto?". Ao longo do tempo taduz-se no desenvolvimento da paciência e do pensamento lógico.

a ANALISAR VÁRIAS OPÇÕES - as crianças aprendem que não tem que concretizar a primeira ideia que lhes surge, aprendendo a identificar alternativas e a considerar os prós e contras de várias acções.

a ANÁLISAR CONCRETAMENTE - as crianças aprendem a avaliar os resultados de uma acção específica e as suas sequências. "Esta sequência faz-me ganhar ou perder?" As decisões tornam-se melhores à medida que são definidas pela lógica em vez do impulso.

o PENSAMENTO ABSTRACTO - as crianças aprendem a desligar-se dos detalhes e ver o jogo como um todo. Aprendem padrões usados num contexto e a aplicá-los a diferentes, mas relacionadas, situações.

a PLANEAR - as crianças aprendem a desenvolver objectivos de longo prazo e a realizar passos nesse sentido. Aprendem a necessidade de reavaliar os seus planos quando novos desenvolvimentos mudam o contexto.

a CONSIDERAR MÚLTIPLAS OPÇÕES SIMULTANEAMENTE - as crianças são encorajadas a não se fixarem apenas numa ideia, mas a encontrar e explorar várias opções.

Nenhuma destas aptidões é exclusiva do xadrez, mas fazem parte deste. O xadrez como ferramenta de ensino estimula o cérebro das crianças e ajuda-as a construir a desenvolver capacidades enquanto retiram proveito do jogo, do entretenimento. Como resultado as crianças obtem capacidades de raciocínio, de solução de problemas e de tomadas de decisão independentes maiores e melhores.

Estas conclusões estão fundamentadas por investigação educacional. Estudos efectuados em várias localidades nos EUA e Canadá, demontram que a implementação do xadrez no percurso escolar aumentou os resultados em testes standard para a leitura e matemática. Um estudo de um programa de xadrez em larga escala, na cidade de Nova Iorque, e que envolveu mais de 100 escolas e 3000 alunos, revelou uma melhoria significativa nas notas obtidas a Matemática nos alunos envolvidos na aprendizagem do xadrez...

Nas escolas, o xadrez serve como ponte, aproximando crianças de diferentes idades, raças e sexo numa actividade que podem desfrutar. O xadrez ajuda a construir amizades e no estabelecimento de um espírto de união, de equipa quando competem com outras escolas. O xadrez ensina uma postura de boa prática desportiva, a ganhar humildemente e a não desistir quando se perde. Para as crianças, há muitos exemplos em que o xadrez leva a um aumento da motivação, melhoria do comportamento e aumento da auto-estima.

O xadrez é uma ferramenta social positiva, uma actividade de lazer saudável que pode ser facilmente aprendida e desfrutada em qualquer idade.

São exemplo de países que emplementaram o xadrez nas escola: EUA, Rússia, Canadá, China, Espanha, Perú, Brasil, França, Alemanha, Índia e muitos outros (in http://www.fide.com/component/content/article/15-chess-news/3917-chess-in-school-in-moldova-was-given-green-light-)

--

Paulo Afonso 

 

terça-feira, 29 de junho de 2010

O xadrez e a matemática

 

 
A reportagem que reproduzo abaixo foi captada no site:
 
 

29/04/2010 01:22

Xadrez melhora desempenho de alunos em matemática

Além de melhorar o desempenho na disciplina, alunos passaram a se destacar em competições na modalidade

SÃO PAULO [ ABN NEWS ] - Em 2007, o professor de matemática Sandro Sanches Corralero, da Escola Estadual Brigadeiro Tobias, em Sorocaba, resolveu utilizar o xadrez em sala de aula para despertar nos alunos um maior interesse no aprendizado da disciplina. O objetivo era mostrar aos estudantes que o estudo da matemática também poderia ser divertido e desafiador como o jogo. "A intenção era quebrar aquele estigma de que aula de matemática é chata e também motivá-los a praticar o jogo, que é um excelente exercício de raciocínio", diz Corralero, comentando que, no início do projeto, a grande maioria dos alunos, provenientes da periferia de Sorocaba, não conhecia o xadrez.

Assim, o professor passou a dedicar uma aula de sua grade semanal para ensinar noções básicas do jogo a alunos do Ciclo II do Ensino Fundamental. Com o tempo, os estudantes criaram gosto pelo xadrez e quiserem se aprofundar. Como incentivo, a escola adquiriu material para a prática (tabuleiro, peças e relógio), além de livros sobre a modalidade para consulta, e criou um grupo de treinamento dentro da programação de Atividades Curriculares Desportivas (ACD) da unidade. As ACDs são oferecidas gratuitamente pelas escolas da rede estadual, coordenadas por professores de educação física, e acontecem em horários alternados às aulas regulares para aprofundamento nas modalidades esportivas escolhidas pelos alunos.

O incentivo rendeu frutos, não só no que diz respeito à prática do jogo, mas também em relação ao desempenho dos alunos em sala de aula. "Dentre os que aprenderam xadrez, houve uma melhora de 30 a 40% em matemática", salientou o professor, que atua na rede estadual desde 1994 e leciona na mesma escola há cerca de 10 anos.

José Nelson dos Santos Júnior, de 14 anos, aluno do 9º ano do Ensino Fundamental, está entre os estudantes que apresentou significativa melhora em matemática. "O xadrez me ajudou a raciocinar melhor, ter paciência e concentração para resolver os problemas", comenta o aluno.

A escola também passou a ser destaque em competições na modalidade. Recentemente, a aluna Wiviany Maria Monteiro Cruz, de 13 anos, também do 9º ano, conquistou o título de campeã na categoria sub-14 da primeira etapa do Circuito de Xadrez Escolar Estadual 2010, organizado pela Federação Paulista de Xadrez (FPX). "Aprendi a jogar xadrez aqui na escola, mas não esperava imaginava poder disputar um campeonato. Mas foi muito bom, principalmente para meu desenvolvimento pessoal, pois estimula a inteligência e ajuda no aprendizado", conta a estudante.

Além de Wiviany, outros sete alunos da Brigadeiro Tobias participaram da competição, sendo que três também conquistaram medalhas. Atualmente, mais de 200 estudantes do 8º e 9º anos do Ensino Fundamental e 1º ano do Ensino Médio praticam a modalidade na escola nas aulas de matemática e nas ACDs.

Bom desempenho no Saresp

Em 2009, o Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp) indicou uma melhora generalizada em matemática no Ensino Fundamental da rede estadual. A média na quarta série apresentou um avanço expressivo de 10,8 pontos, saltando de 190,5 em 2008 para 201,3 em 2009. Na oitava série, a média avançou 5,8 pontos, de 245,7 em 2008 para 251,5 em 2009.

A escola e o xadrez

Vejam que lindo texto captei do site:
Um, dois, três segundos e o relógio pára. Mais quatro, cinco, seis segundos e a mãozita carrega no botão para que o tempo não avance. O pequeno João Pedro não ganha o jogo de xadrez ao professor Rui Pereira, mas esforça-se. "Muito bem jogado João, muito bem", diz o professor. O relógio é implacável. "Tentaste fazer umas belas malandrices, muito bem", acrescenta no final da jogada. Segue-se Rodrigo. Concentração, raciocínio rápido para movimentar as peças. E o relógio volta a parar. O professor quer que Rodrigo perceba o que deve fazer para evitar o xeque-mate. O resto da turma, crianças com 5 e 6 anos, debruça-se sobre o tabuleiro e espera por uma resposta que acaba por chegar. Na Escola dos Gambozinos, no Porto, o xadrez é apenas uma das muitas maneiras de aprender. "O xadrez é um instrumento ao serviço da aprendizagem", explica Rui Pereira.

"Não percas a concentração. Como consegues que o rei se defenda? A dama aponta ao rei e diz ?estás preso'. Está ou não?". Rui Pereira joga xadrez com Ísis, de 6 anos. O xadrez é mais do que um jogo, é uma forma de trabalhar aspectos que vão menos bem em outras disciplinas e conduzir à decisão, a pensar e resolver sob pressão. A condução do jogo é feita a pensar em cada aluno, com exercícios específicos. "Ísis foi um prazer jogar contigo." Apertam-se as mãos e arruma-se o tabuleiro para o jogador que se segue. A sala do xadrez tem fotos a preto e branco dos alunos, uma constante nos restantes compartimentos. Tem um fogão de sala antigo, um painel com trabalhos e uma gaiola com coelhos. Xadrez terminado, segue-se a hora do conto. Os 14 alunos sentam-se no chão para escutar mais uma parte da história de Peter Pan. Abre-se o livro com ilustrações de Paula Rego. Olhos e ouvidos ficam em alerta.

domingo, 27 de junho de 2010

Quatis inclui xadrez no currículo escolar

 

Caros colegas,

Quatis
Os alunos da rede municipal de ensino de Quatis podem participar de aulas de xadrez, com o projeto "Xadrez nas Escolas". A iniciativa, que funciona como uma atividade extracurricular, tem como principal objetivo ampliar a carga horária dos alunos e despertar o interesse dos alunos com atividades educativas.
Em funcionamento em todas as escolas da rede municipal de ensino, inclusive na zona rural, o projeto acontece durante todo o ano letivo, com oficinas nas quais os alunos aprendem a jogar com a prática, conhecendo técnicas do jogo de xadrez, e produzindo as próprias peças do tabuleiro. Podem participar alunos matriculados do 3° ao 9° ano e a carga horária das aulas, que varia de acordo com a idade ou a série do estudante, pode chegar a uma hora e meia.
Segundo o coordenador de projetos especiais da prefeitura, Marcio Nunes, o Xadrez nas Escolas tem intenções pedagógicas, já que educa estimulando o aprimoramento da atenção e concentração do aluno. Para ele, há também objetivos socioafetivos, uma vez que a prática do jogo é agregadora e ajuda os alunos a aperfeiçoarem laços sociais dentro e fora da escola.
- O grande benefício é acolher o aluno fora o período da aula oferecendo a ele uma possibilidade educativa que faça frente às situações de risco social, fato que é um dos compromissos de uma Cidade Educadora - explicou Márcio, referindo-se ao principal projeto da prefeitura de Quatis, que é trazer para o município o título de Cidade Educadora.
O Xadrez nas Escolas é um dos projetos educacionais desenvolvidos pela secretaria de Educação, que visa sempre ao melhor aprendizado do aluno e ao seu convívio social. "Aprender a jogar xadrez estimula o raciocínio, colabora com o aprendizado e coloca o aluno em contato com outros, socializando todo o grupo", disse a secretária de Educação, Aldjane Prata.

O xadrez e a natação

Como anda o conceito de afogamento?

Vamos ver dois exemplos?
Diagrama 1
FEN : k7/8/8/8/8/4p3/4Pq2/1R5K w
Jogam as brancas e empatam esta partida.
Mas como?
Diagrama 2
FEN : 8/8/P1p5/2P5/6p1/1b3pP1/3k3p/5K1N b
Jogam as pretas e só empatam esta partida.
Mas como?
Soluções:
Para o diagrama 1:
[ 1.Rb8+,Ka7 ; 2.Rb7+,Ka6 ; 3.Rb6+ e as duas peças vão ficar nisso pela eternidade. Resultado: empate.  Se  1._____,Kxb8 haveria afogamento do Rei branco. Empate da mesma forma. ]
Para o diagrama 2:
[ 1._____,Bc4+ ; 2.Kf2,Bxa6 e há o afogamento do Rei branco. Empate. ]

Aberturas - outro estudo

 

Após:
1.e4,e5 ; 2.Bc4,Bc5 ; 3.Qf3
Temos a seguinte posição:
FEN : rnbqk1nr/pppp1ppp/8/2b1p3/2B1P3/5Q2/PPPP1PPP/RNB1K1NR b
Será que as brancas vão aplicar o Pastor?
Continuando:
3._____,Nh6 ; 4.d4,exd4 ; 5.Bxh6
FEN : rnbqk2r/pppp1ppp/7B/2b5/2BpP3/5Q2/PPP2PPP/RN2K1NR b
Por que as pretas não jogaram 3._____,Nf6?
Agora complicou!
5._____,gxh6
6.Qxf7++
FEN : rnbqk2r/pppp1Q1p/7p/2b5/2BpP3/8/PPP2PPP/RN2K1NR b
As pretas devem ser iniciantes!
Deram mole....!!!

Aberturas - um estudo

Após:

1.e4,e5 ; 2.Nf3,d6 ; 3.Bc4,Bg4
Temos a seguinte posição:
FEN : rn1qkbnr/ppp2ppp/3p4/4p3/2B1P1b1/5N2/PPPP1PPP/RNBQK2R w
Prosseguindo:
4.c3,Nc6 ; 5.Qb3,Bxf3
FEN : r2qkbnr/ppp2ppp/2np4/4p3/2B1P3/1QP2b2/PP1P1PPP/RNB1K2R w
Aquí seria ideal o 5._____,Na5
As pretas não viram o perigo em e6!
6.Bxf7+,Ke7 ; 7.Qe6++
FEN : r2q1bnr/ppp1kBpp/2npQ3/4p3/4P3/2P2b2/PP1P1PPP/RNB1K2R
Posição final do mate.

Grande notícia

 

é o tipo de notícia que eu gostaría de divulgar todos os dias:

43ª Campeonato Xadrez



O 43ª Campeonato Xadrez no Solange Moreira reuniu 100 alunos
A escola municipal Professora Solange Moreira realizou neste dia 7 de maio, o 43º torneio da história do Circuito Escolar de Xadrez de Miracema. Evento este que contou com a participação também de outras grandes escolas do município como: Deodato Linhares, Manoel de Barros, Instituto de Educação, Ferreira da Luz , CIEP 267, SEC, Cenecista, Bom Conselho,Álvaro Lontra e Pedro Henrique. Reunindo um total de 100 alunos admiradores deste esporte.
A Secretária Municipal de Educação, Cultura , Esporte e Lazer, Luciana Moura e o seu Diretor de esportes, Gisvaldo Teperino, entregaram 50 jogos completos de xadrez para os alunos levarem para as suas casas, com o objetivo de que os mesmos se tornem multiplicadores desta brincadeira educativa, ensinando seus vizinhos, colegas e familiares.
Houve o momento do sorteio de 10 prêmios, distribuição de um delicioso lanche e das entregas das medalhas. E os professores que atuaram como juízes foram: Rogério Barbosa, Carlinhos Moreira e Moxione.

Bronstein's Move

 

Vocês conhecem o surpreendente "Bronstein's move"?
Ele aconteceu no torneio de Moscou de 1965.
[Event "Ch URS"]
[Site "Tallinn"]
[Date "1965.??.??"]
[EventDate "?"]
[Round "?"]
[Result "0-1"]
[White "Vladas Ivanovich Mikenas"]
[Black "David Bronstein"]
[ECO "A53"]
[WhiteElo "?"]
[BlackElo "?"]
[PlyCount "48"]

1. d4 Nf6 2. c4 d6 3. Nc3 c6 4. e4 e5 5. d5 Be7 6. Be2 O-O
7. Nf3 Na6 8. O-O Bd7 9. Ne1 Qc8 10. Nd3 Bd8 11. f4 cxd5
12. cxd5 Nc5 13. fxe5 Nfxe4 14. Nxe4 Nxe4 15. Be3 Bb6 16. Bxb6
axb6 17. Rf4 Nc5 18. exd6 Nxd3 19. Qxd3 Qc5+ 20. Kh1 Qxd6
21. Rh4 h6 22. a3 Rfe8 23. Bf3 Qe5 24. Rb4 Rxa3 0-1
FEN : r3r1k1/1p1b1pp1/1p5p/3Pq3/1R6/P2Q1B2/1P4PP/R6K b
Posição após 24.Rb4
Neste ponto, Bronstein surpreendeu a todos, jogando 24._____,Rxa3
FEN : 4r1k1/1p1b1pp1/1p5p/3Pq3/1R6/r2Q1B2/1P4PP/R6K w
Das três opções que as brancas tinham:
a) Se 25.Qxa3,Qe1+ ; 26.Rxe1,Rxe1++
b) Se 25.Rxa3,Qe1+ ; 26.Qf1,Qxf1++
c) Se 25.bxa3,Qxa1+ ; 26.Rb1.Re1+ ; 27.Rxe1,Qxe1+ ; 28.Qf1,Qxf1++
elas escolheram a quarta: abandonaram a partida!
Grande senso de combinação do Bronstein, heim?


The 1954 Olympiad team, Smyslov, Bronstein, Keres, and Botvinnik.

sábado, 26 de junho de 2010

Xadrez para deficientes visuais



A delegação da ACAPO de Trás-os-Montes com sede em Vila Real e a AXVR levaram a efeito na tarde de sábado, dia 8 de Maio de 2010, a 1ª acção de xadrez para invisuais, contando para isso com 4 tabuleiros próprios adquiridos recentemente. Pretendem em primeiro lugar pôr os invisuais da região a jogar xadrez e numa segunda fase a participação em campeonatos. Nesta 1ª acção participaram 6 invisuais que deram assim os primeiros passos nesta modalidade. A 2ª acção está prevista para Junho.


Decoying

Aqueles enxadristas que estudam Tática em livros publicados na lingua inglesa, com certeza já se depararam com o termo "decoying".
Essa palavra representa um tema tático bastante interessante.
Nos bons (e nos maus também) dicionários de inglês/português, veremos que "decoy" pode ser traduzido por "chamariz", ou "isca" para alguns.
No popular jargão tupiniquim, diríamos que se trata do famoso "boi-de-piranha"......rs!
Ou seja: você faz um movimento visando retirar o domínio que uma peça adversária tem sobre determinada casa que é muito importante para o desenvolvimento de seu plano de jogo.
Em geral, mas não necessáriamente, esse movimento é representado pelo sacrifício de uma de nossas peças.
Claro que o produto final que obteremos com essa manobra nos será bastante favorável (senão nem valeria a pena fazê-lo, óbviamente, né meu caro Watson!).
Eu, particularmente, costumo chamar esse tema tático de "desvio de atenção".
Não é só para "aportuguezar" o tal "decoying" não!
É que eu, realmente, acredito que, na prática, é justamente isso que fazemos, ou seja, lançamos mão de um determinado artifício para tentar "desviar a atenção" que a peça adversária tem sobre a casa que almejamos conquistar.
Vamos ver isso com exemplos?
Diagrama 1
FEN : 8/8/2P2k2/B2Kb3/5p2/8/8/8 w
A única chance que as brancas têm para vencer esta partida é promovendo seu Peão, antes que as pretas façam o mesmo com o seu.
Acontece que esse Peão branco, para ser promovido, precisa passar pela casa c7, que está sob domínio do Bispo preto.
Passando por essa casa, a vitória é certa, pois a casa de promoção é de cor diferente da do Bispo preto.
Surge, então, a pergunta: como passar por c7?
Ora, é fácil, utiliza-se o artifício do tema tático "desvio de atenção".
Como?
Jogando agora 1.Bc3
O Bispo preto não tem outra alternativa a não ser capturar o Bispo branco (o tal "boi-de-piranha").
1._____,Bxc3 ; 2.c7
E que venha a vitória.....!!!!!
Diagrama 2
FEN : 8/6pp/8/1N6/2n2P2/4k1P1/P1Kp3P/8 b
Neste segundo caso, quem vai ser promovido é o Peão preto da coluna d.
Só que o Rei branco domina a casa de promoção d1 e, mesmo fazendo 1._____,Ke2 as brancas responderiam com 2.Nc3+ e poria o plano das pretas todinho por água abaixo!
Que fazer então?
Ora, jogasse primeiro o 1._____,Na3+ (novamente o tal boi-de-piranha) não deixando outra alternativa para o Cavalo branco que não seja a captura de a3.
Então teremos:
1._____,Na3+ ; 2.Nxa3,Ke2 e as pretas correm pro abraço (na Dama que será promovida, claro!)
Muito bacana esse tema tático, não é verdade?

Attraction

 

Um tema tático bastante interessante é a chamada "atração".
Utilizamos este recurso para, literalmente, "puxar" uma peça do adversário para uma determinada casa, enquanto que outra peça nossa desfruta de algum benefício importante no desenvolvimento de nosso plano.
Os motivos desta "atração" podem ser vários: desde uma sequência de mate ou a captura de uma peça adversária fundamental de defesa ou até mesmo a conquista de espaços decisivos para a partida.
Para explicar em detalhes, nada melhor do que mostrar exemplos, não é verdade?
Então vamos lá:
Diagrama 1
FEN : 6k1/4n1r1/1p1p4/3q2p1/3B4/3Q4/6P1/5RK1 b
Pretas jogam.
O Bispo branco ameaça capturar a Torre preta, entretanto ele está cravado pela Dama preta.
Se capturar a Torre, a Dama preta pega a Dama branca, que não tem proteção.
Pensando em dobrar essa ameaça de captura, as pretas jogam agora 1.____,Nc6
Começa, então, neste ponto, a nossa "atração":
As brancas respondem com 2.Rf8+ forçando o Rei preto a capturar a Torre branca.
Aí segue:
2._____,Kxf8 ; 3.Bxg7+,Kxg7 ; 4.Qxd5
Adeus Dama preta......e a partida....!!!!
Notaram a atração feita pela Torre branca para que o Rei preto acupasse a casa f8, possibilitando o xeque do Bispo e a posterior captura da Dama preta?
Lindo, não?
Diagrama 2
FEN : 5kr1/ppp1r1pR/1q1p1p2/1b3P1B/4P3/1Q6/PPP3P1/1K5R w
Brancas jogam.
Neste exemplo, o motivo da atração é o xeque mate sobre as pretas.
Olhando para a posição, parece que, apesar do ataque pesado das peças brancas, as pretas estão se defendendo muito bem.
Aí entra em cena a criatividade!!!
Para espanto geral, o jogador de brancas joga 1.Qxg8 forçando o Rei preto a capturar a Dama branca.
1.Qxg8+,Kxg8 ; 2.Rh8+
outro espanto......entregou também a Torre?
2.____,Kxh8 ; 3.Bf7++
Dois sacrifícios de peças maiores visando trazer o Rei preto para a casa h8....!!!!
Como sempre digo nas mesas das cervejadas: "eu não saberia fazer melhor....rs!!!!!"

Destroying the Guard

 

Se vocês estiverem estudando Tática em um livro de xadrez de lingua inglesa, com certeza encontrarão esse tema tático que eles chamam de "Destroying the Guard".
Em uma tradução literal do termo, talvez o mais correto seria "aportugueza-lo" como "Destruindo a Defesa".
Eu, entretanto, depois de estudar bem o tema, prefiro chamá-lo de "Remoção de peça defensiva".
Por que essa rebeldia?
Ora, simplesmente porque, no frigir dos ovos, é exatamente isso que se faz, ou seja, se há uma peça do adversário com atuação importante na defesa do Rei, e nosso plano de ataque está sendo atrapalhado por ela, vamos retirá-la, então, do tabuleiro, ora pois!
Utiliza-se para isso, normalmente, uma troca de peças que, quase sempre, nos seria desvantajosa caso o produto final não desse o resultado esperado!
Vamos ver dois exemplos?
Diagrama 1
FEN : 8/pr1r3p/6p1/2p1pk2/3b2N1/1P4P1/P2R1PKP/4R3 w
Jogam as brancas.
Tema tático: Remoção de peça defensiva
Aquí, as brancas surpreendem e jogam:
1.Rxd4
Parece até um lance distraído, com uma troca desastrosa, não é?
Mas se:
1._____,cxd4 (ou exd4  ou Rxd4) ; 2.Rxe5+,Kxg4 ; 3.f3++
Diagrama 2
FEN : r3rn2/pp2pkb1/1qppnp2/5N1b/3P4/3B1NQ1/PPP3PP/R1B1R2K w
Jogam as brancas.
Tema tático: Remoção de peça defensiva
Nesta posição as brancas também surpreendem, retirando um Bispo preto "chato" que estava atrapalhando seu plano:
1.Qxg7+,Nxg7 ; 2.Nh6++
Simplizinho mas bonitinho, não é?

Stalemate

 

Não tem coisa mais irritante no mundo do que quando você está jogando uma partida de xadrez, tem enorme superioridade material no final, e seu adversário, descaradamente, continua jogando para tentar provocar um empate, utilizando o recurso do "stalemate", ou seja, o afogamento!
Agora, por outro lado, não tem coisa mais deliciosa no mundo do que quando você está jogando uma partida de xadrez, tem enorme inferioridade material no final, e consegue arrancar um empate do adversário, utilizando o recurso do afogamento, não é verdade? rs,rs
São recursos do xadrez, é o regulamento, cada um que o siga da forma que achar melhor, ora!
Por falar nisso, vamos ver alguns exemplos de afogamento?
Diagrama 1
FEN : 7k/R7/8/7P/6K1/8/p7/r7 w
Brancas jogam.
Aquí nem há muito desequilibrio material, muito pelo contrário, os dois lados estão iguais quanto ao material sobre o tabuleiro.
Mas as brancas, acreditando que a promoção do Peão preto está mais próxima e não terá maiores chances na partida, resolveram empatá-la.
Jogaram então:
1.Kg5,Rg1+ ; 2.Kh6,a1=Q ; 3.Ra8+,Qxa8 empate por afogamento do Rei branco.
Diagrama 2
FEN : 8/3b4/pkp4B/1p6/P2qp3/8/7Q/7K w
Brancas jogam.
As brancas estão com três Peões a menos, então resolveram empatar a partida:
1.Be3,Qxe3 ; 2.Qf2,Qxf2 ; 3.a5+,Kxa5 empate por afogamento do Rei branco.
Diagrama 3
FEN : 1k6/R7/K7/8/8/8/2p5/8 w
Brancas jogam.
Se as pretas conseguirem promover o Peão, adeus partida para as brancas!
Então elas resolveram utilizar o velho e conhecido "stalemate":
1.Rb7+,Kc8 ; 2.Rb5,c1=Q ; 3.Rc5+,Qxc5  empate por afogamento do Rei branco.
Bem sutil esse último, não foi?